Dia 17 – O que você quer mais do que qualquer coisa agora?


O que eu mais quero nesse momento pouco tem a ver com Lolita. Não é um vestido, um sapato ou uma bolsa nova. O que eu mais quero, é um pouco de paz. Paz de espirito, para que eu continue gostando das coisas que gosto e aproveite melhor a minha vida. 
Esse post não vai ser feliz, engraçado ou informativo. É apenas um grande desabafo e um relato do que tem acontecido comigo nos últimos meses. Muitas que leem são minhas amigas, e eu sei que vai ser doloroso ler o que escreverei aqui. Peço desculpas por isso, mas também peço sua compreensão nesse momento tão difícil. Você vai ler coisas pesadas, obscuras, que uma garota da minha idade não deveria estar pensando. 

eu sobre a vida

Tudo começou no primeiro dia de aula desse semestre. Eu ouvi algo que ficaria ecoando na minha cabeça por semanas, me destruindo por dentro. Estávamos tendo uma conversa sobre trabalho e estágios, e eu estava comentando o quão difícil era pra mim conseguir algum emprego que não fosse de garçonete ou atendente. A resposta que eu tive, foi de "Que eu não estava me esforçando o suficiente", oras eu já tinha lido sobre isso, sobre as pessoas falando essa frase, mas ouvi-la assim diretamente, foi como um soco na cara. Eu não me esforço o suficiente? Eu venho de uma família pobre, em que a maioria mal terminou o ensino médio, faculdade era só um sonho distante. Por pouco eu não segui o mesmo caminho dos meus pais, mas com muita sorte, eu consegui uma bolsa. Já perdi as contas de quantas entrevistas já fiz, quanto dinheiro já gastei indo de um lado a outro da cidade, comprando roupas sociais pra ficar minimamente apresentável. Muitas vezes desistia e pegava novamente o emprego de garçonete, afinal é a única coisa que eu sei fazer mesmo.

Minhas notas são altíssimas, meus trabalhos impecáveis. Os professores gostam de mim, sempre consigo vagas nos congressos e palestras, mas aprendi que nada disso importa. Já que eu não me esforço o suficiente, é por isso que eu não tenho um trabalho, é tudo uma questão de esforço mesmo. 
E então eu parei de ir em algumas aulas, porque eu me sentia um lixo, e percebi que não importa o quanto eu estude, não vai me servir pra absolutamente nada. É só um pedaço de papel. 
Aquelas palavras me magoaram tanto, que eu decidi sair do grupo de trabalho que eu estava, isso acabou se tornando um grande erro, já que eu fui para um grupo onde não conhecia ninguém e aos poucos fui deixando de ir nessa aula, não entreguei trabalhos, não fiz a prova. Eu tentava, tentava de verdade ir pra faculdade, mas ao chegar na porta de casa desabava em lágrimas. Quantas vezes eu não vomitei de tão enjoada que ficava? Então eu decidi: não vou fazer a aula X, ela está me tando trabalho, então eu vou desistir dela.

Só que as preocupações de uma pularam para outras e mais uma vez eu vomitava e chorava só de pensar em assistir aula. Tinha dias que chegava na faculdade e ia direto para o banheiro vomitar. Comecei a me dopar de calmantes (fitoterápicos), ficava tonta e com muito sono, mas só assim conseguia comparecer as aulas. 

Em uma semana muito ruim, decidi que ia me matar. Pesquisei diversos métodos de suicídio: eu só precisava me jogar da janela, ou ainda tomar muitos remédios e álcool junto. Tudo estava certo. Porém, justo naquele dia, meu namorado estava em casa. Se ele não estivesse ali, eu definitivamente teria me matado. Eu estava tão mal, meu cabelo caia muito muito mesmo e eu tinha essa coceira intensa no meu corpo, que fazia eu me coçar até ficar vermelho. Eu não parava de chorar e começava a ficar sem ar por isso, era torturante. Mas eu estava decidida e ninguém poderia me parar. Meu namorado estava muito desesperado, nada, absolutamente nada do que ele dizia iria fazer alguma diferença pra mim. Então eu sai do meu quarto e ele me seguiu, e eu estava determinada a ir até o terraço e pular. Acho que ele percebeu isso, porque enquanto estávamos no corredor, ele olhou bem pra mim, disse "desculpa" e me deu um soco no estômago. Cai no chão de tanta dor, mas isso acabou me fazendo pensar melhor na situação, foi como um choque. O que eu ia fazer era idiota, mas eu estava tão desesperada. Na verdade eu prometi pra mim mesma que eu jamais iria contar o que ele fez, porque eu não acho certo esse tipo de resposta. Mas ele estava tão desesperado, eu nunca vou esquecer o rosto dele naquela hora. Eu continuo não achando certo o que ele fez, mas sinceramente, se ele não tivesse feito aquilo, eu definitivamente teria me matado. A dor passou rápido e eu não fiquei machucada nem nada, foi mais o choque daquilo tudo que me assustou. 

Depois desse dia eu decidi que precisava procurar ajuda e rápido. Tentamos muitos lugares, foi muito estressante, principalmente porque eu precisava contar a mesma história de novo e de novo. Alguns profissionais ficavam chocados com o que eu passei, e alguns estavam mais preocupados se eu poderia ou não pagar as consultas. Tentaram me jogar para um psiquiatra caríssimo, que eu felizmente consegui recusar. Depois de semanas ligando, chorando e vivendo a base de calmantes, eu finalmente consegui. Tanto a terapeuta, quanto a psiquiatra, em um valor que eu pudesse pagar. 
Me ajudou muito enquanto estava nas aulas, mas agora, que minhas provas acabaram eu fico me perguntando se ainda vai me ajudar. Eu não acordo mais chorando, então isso é um bom sinal, certo? 
Mas ainda tenho tantas dificuldades, cada vez mais eu estou ficando confusa e distraída, com coisas simples. Eu leio e esqueço, pego produtos errados, ou acabo me perdendo na rua, ainda que tenha feito esse caminho por anos. 


Eu apenas sei que ainda estou muito mal, estou recolhendo cada pedacinho meu que foi triturado pela vida e tentando me manter inteira. Eu não sinto mais vontade de fazer nada, eu não quero sair, comer, conversar. Nada disso. Tudo que antes me dava muita alegria e prazer, agora parece ter se tornado um aborrecimento. Eu preciso me esforçar muito para fazer coisas simples do cotidiano, como dormir, acordar e comer. Quase tudo o que como me faz passar mal e eu tenho sentido cada vez menos fome. Não é raro ficar 20, 30 horas sem uma refeição. Eu não sinto a mínima vontade de comer e olhar para a comida me dá nojo. 
Tenho ido dormir as 5 da manhã e acordado as 14:30 da tarde, mas é como se não tivesse tido nem 5 minutos de sono. Passo os dias cansada e com dores por todo o corpo, me sinto fraca, cambaleante, fico tonta e quase caio diversas vezes ao dia. 


Muitas vezes eu quero desistir e apenas esperar pela morte enquanto fico deitada na minha cama, mas eu estou tentando, de verdade. Eu quero melhorar, mas é tão difícil. Aos poucos tento fazer as coisas que preciso, como comer ao menos uma vez ao dia, tomar banho, sair um pouco do quarto. Oras, ontem eu até fui sozinha na padaria, me senti extremamente orgulhosa por isso.

E eu agradeço a todos que tem me ajudado, aos meus colegas, meus amigos e pessoas mais próximas. Eu sei o quão difícil é para vocês me verem nesse estado, e olha que eu só mostro 1% da minha dor para vocês. Mas ainda assim agradeço e muito por todas as palavras de apoio, pelas risadas, por me abraçarem quando eu choro, tudo isso é tão importante pra mim. E vocês sabem, que eu só posso contar com vocês, eu não tenho uma família pra me apoiar, então vocês são minha família.

Pra ver outros dias do Desafio 30 dias Lolita clique Aqui

Snap: Amyojo | Página do Blog | Instagram: Amyojo

9 comentários:

  1. Força Amy! Você é forte e corajosa e eu não tenho dúvida nenhuma de que você vai passar por essa fase ruim bem e de cabeça erguida!
    Entendo completamente o que você esta passando. Tive uma depressão fortíssima na pré adolescência e também tentei suicídio uma vez. É horrível essa sensação de que você esta sempre sozinha, de que nada nunca muda. É como se as pessoas andassem em um sentido e falassem uma língua e você falasse outra e andasse no sentido oposto. Eu nem conseguia tomar remédio; eles me faziam muito mal, ou meu estomago doía ou eles eram muitos fortes e me faziam desmaiar, então a maior parte do meu tratamento de dois anos foi feita na barra, pensando em morrer a cada dia que eu acordava e a cada noite que eu dormia.
    É bom que você tenha o Vitor e que ele seja essa pessoa tão preocupada contigo; não é bom passar por uma barra dessas sozinha, parece que a solidão e angustia aumentam exponencialmente.
    O que eu posso te dizer, se você me permitir, é que tudo isso vai passar. TUDO. Hoje, 10 anos depois, vejo o quão bom foi terem me impedido. Vai levar tempo, vai levar esforço, vai ser difícil e desgastante mas depois da pior fase, da fase que você tem que se condicionar a comer, a sequer levantar da cama, tudo passa; os dias ficam mais fáceis, as tarefas começam a ser mais naturais, e quando você menos esperar você ja vai estar restabelecida e essa fase vai ser apenas uma memoria dolorosa. Você é inteligente, esforçada, caprichosa, e você mesmo disse no seu texto o quão bem você vai na faculdade. ISSO é o que importa Amy: Trabalho é so uma atividade mecânica alienada, mas ir bem nos estudos é muito mais difícil. Requer concentração, foco, dedicação. Então não desista! Continua insistindo, olha so onde você já chegou! Mais um pouco e você acaba. Não liga pro que essas pessoas falam, a Anhembi Morumbi infelizmente é cheia de gente esnobe que acredita que todos tem as mesmas oportunidades. Sua universidade realiza pesquisas? As vezes fazer uma iniciação cientifica em algo pelo qual você se interesse pode te ajudar. E existem instituições municipais e estaduais que dao bolsa pra pesquisa e graduação o que pode ser uma boa solução pra falta de dinheiro a curto prazo.
    Eu trabalho na área da cultura e estou desempregada ha 8 meses. Esta impossível conseguir qualquer coisa. Enviei milhões de currículos e nunca me chamam nem pra entrevistas, então sei como é difícil ficar em casa, sem oportunidade nem grana, mas pensa aonde você já chegou e não desiste. Caso você queira conversar ou desabafar, estou aqui ok? Pode me chamar! Você é uma das minhas lolitas brasileiras favoritas e admiro muito seu estilo. Fique bem ok? Força garota! <3

    ResponderExcluir
  2. Difícil pensar num comentário pra fazer, mas só queria que você soubesse que estou aqui para você, e que eu acho que você foi MUITO corajosa de ter feito esse post. <3 *abraço*

    ResponderExcluir
  3. A partir de hoje não é pra escutar as baboseiras que te falam não! Você é preciosa e merece ser feliz.

    ResponderExcluir
  4. Meu amor, você é muito corajosa e forte! Que bom que você não tirou a sua vida, que bom que o Vitor estava por perto pra te proteger. Por causa disso nós vamos ter a alegria de poder te ver e te abraçar mais uma vez. <3

    E obrigada também por compartilhar conosco um pouco da suas experiências, ainda que elas sejam tão dolorosas pra você. Você não está sozinha!

    Te desejo ainda mais força pra lutar contra tudo isso, força pra superar essas pessoas venenosas ao seu redor e força pra viver. Acredito sim que não seja fácil, mas eu também acredito em você. <3

    ResponderExcluir
  5. Aw, querida Amy, vou dar um abraço bem apertado da próxima vez que a gente se ver. Sinto muito que tudo isso tenha acontecido com você.

    Espero que as situações da sua vida se tornem mais agradáveis e que tudo fique mais fácil. <3

    ResponderExcluir
  6. A atitude do seu namorado foi desesperada, ele certamente não fez por mal, é vc que tem que saber, mas não acho que tenha sido errado pq ele fez num ato desesperado pra te salvar. Pelo seu relato vc sofre de uma depressão bastante intensa e cada pessoa sai desse buraco de um jeito, o que funciona pra uns pode não funcionar pra outros mas o que funcionou pra mim foi me manter ocupada, minha depressão não foi como a sua, nem tão forte e os ''sintomas'' eram meio diferentes e alguns iguais, toda vez que eu fico sem fazer nada ela ataca, por isso preciso estar sempre trabalhando em algo, mas cada um é cada um. Espero que esses novos médicos sejam bons e que vc possa melhorar logo, take your time tho :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sabia que vc tinha passado por isso também ):
      Mas fico feliz que tenha conseguido superar!!

      Agora eu to beeem melhor, isso que ele fez, foi tipo há 1 mês, sei lá, é que eu sou muuito contra violência, mas eu sei que ele tava MUITO desesperado na hora e o que ele fez funcionou. Tanto que fui procurar ajuda depois disso, e agora estou melhorando aos pouquinhos!

      A minha também ataca quando fico sem fazer nada também, então tento me ocupar 100% do tempo.


      Aww, mas muito obrigada, sério!

      Excluir
  7. Vish, Miojão.

    Conheço bem esse drama, u know. Recentemente, antes das férias, uma professora insinuou que eu deveria trancar a faculdade, já que "não aguento" o tranco. Só que eu não tranquei, porque assim como você, se eu ficar em casa vai ser pior, graças á opressão que eu sofro aqui por todos os lados. O melhor a fazer é tentar manter a cabeça ocupada.

    Acho que O Comentarista não teria coragem de fazer o que Vitor fez não :T mas mesmo assim considero uma atitude corajosa da parte dele, pra ver se você caía na real. Queria ter alguma palavra pra te encorajar, mas não tenho: tô passando pela mesma coisa. Minhas notas são apenas medianas, porque não tenho disposição nenhuma pra estudar. Nem pra fazer nada além de ficar no meu quarto sonhando com um guarda-roupa que nunca vou ter, á espera de alguém que dificilmente virá me ver (você sabe quem), e chorando por isso. Cheguei aos 70 kg, e me sinto infeliz.

    Ainda assim, justamente por estar no mesmo barco que você, não vou te deixar andar só NUNCA. Sabe que pode contar com o meu "ouvido" amigo para você falar sobre o que quiser, não sabe? Apesar de a gente não se falar como antes, eu te amo e te considero MUITO. Estou a seu lado, viu?

    Beijo no cosmo!

    ResponderExcluir
  8. Amy, fico triste por você estar passando por isso. Você é uma pessoa linda e merece o melhor. Eu torço muito pela sua recuperação e felicidade. Já passei por fases bem ruins assim. Saiba que isso vai passar uma hora. Não acho que seu namorado tenha feito por mal. No desespero a gente faz coisas desse tipo e ele com certeza te ama e estava com medo de te perder. Você é importante para ele e imagino que ele estava com muito medo ao te ver sofrendo e pensando em coisas assim. Eu fico feliz que ele tenha conseguido te impedir e que depois disso você tenha procurado ajuda e está um pouco melhor. E não tem nada disso de "não se esforçar o suficiente". Você sabe que se esforça bastante. A vida realmente é complicada e não essa facilidade toda que algumas pessoas pensam. É difícil mesmo. Nessa fase estamos sempre confusos, incertos e com medo do futuro (principalmente por causa dessa pressão de já sair da faculdade sendo um sucesso na vida) e uma frase como essa derruba mesmo uma pessoa. A gente perde mesmo a confiança. Não deixe que isso te abale. Só seja o melhor que você puder ser e faça as coisas no seu tempo, sem pressão, ok?

    Lendo isso eu fiquei com vontade de te dar um abraço bem forte. Infelizmente não estou perto para fazer isso, mas saiba que pode sempre contar comigo. Pode me chamar no chat que pelo menos posso te ouvir e falar besteiras com você. E muito obrigada por mesmo estar passando por isso você tenha me ouvido e me ajudado tanto! Fico daqui enviando muito amor e força para você! Se cuide e fique bem. Sei que um dia você vai estar ótima! Você pode não poder contar com sua família, mas está cercada de amigos (mesmo que virtuais) que te amam, te admiram e querem te ver bem <3

    ResponderExcluir

Oii! ☆ Seus comentários são muito importantes pra mim, então comente meeeesmo! Leio tudo e respondo assim que der ☆

☆ XoXo Stay cute! ☆

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...